Judaísmo e Cristianismo – Parte 68: As Festas de Peregrinação (continuação) – Da Teologia à História

Por Philippe Haddad [*]
Tradução de Pe. Fernando Gross

Se o Shabat nos revela o Deus Criador, o Deus da Teologia, as três festas anunciam o Deus na História, que “salva o pobre escravizado pelo mais forte”. Abrindo o calendário específico de Israel no mês de Nissan, aquele da saída do Egito, a Torah quis deste modo sublinhar a importância do aspecto histórico sobre o teológico. Para o Judaísmo, se a religião não colaborar com o fazer pensar num envolvimento no mundo, então ela mesma se desqualifica, pois perde a sua natureza de ser. Se o religioso é necessário para fundamentar a ética, então ela deve nos convidar a imitarmos Abraão e não se isolar como Noé. É por isso que o Eterno Deus se apresenta no Monte Sinai como o libertador e não como o criador dos céus e da terra[1].

68 Da Teologia à História

____________________
[*] As publicações desta série sobre o Judaísmo são extraídas da obra do Rabino francês Philippe Haddad, no livro: Como explicar o judaísmo aos meus amigos. A tradução é de Pe. Fernando Gross. In: www.judaismoecristianismo.org
[1]Cf. Haddad, Philippe. Pour expliquer le judaïsme a mes amis. Paris: Éditions In Press, 2013. p. 128.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s