Judaísmo e Cristianismo – Parte 50: A Torah ou Pentateuco

50 – A Torah ou Pentateuco

Por Philippe Haddad [1]
Tradução de Pe. Fernando Gross

Traduzida numa forma muito restritiva como “Lei”, a Torah é mais ainda “o Ensinamento” (da mesma raiz temos igualmente yore = a chuva do início da estação e more (feminino morah) = aquele que ensina) ou também entendida como a “direção”. Esse termo pode também designar um específico ensinamento, uma modalidade legal – confira o livro de Números capítulo 6, versículo 21 – Nm 6,21 – do que o conjunto do Pentateuco.

Uma tradição rabínica afirma que a Torah não foi escrita no tempo de Moisés, mas que ela já existia antes da criação do mundo e que Deus a contemplava, como um arquiteto consultando seu plano, antes de criar o Universo. Mesmo que esse gênero literário relembre sempre um comentário filosófico, ele traduz ao menos a fé do judeu na eternidade dessa palavra transcrita, e a correspondência entre a realidade de nosso mundo e a vontade divina.

O Pentateuco está escrito num pergaminho. Nas sinagogas, ele é colocado num armário no fundo chamado “arca da santidade”. A maioria dos lugares de culto possuem numerosos rolos, mas trata-se de a cada vez, ler-se o mesmo texto. A Torah se apresenta como um longo texto histórico que vai desde a criação do mundo até à morte de Moisés. No interior desse texto, encontramos a Legislação de Israel expressada nos 613 mandamentos ou mitsvot (no singular mitsvá).

Os nomes e os grandes temas do Pentateuco são:

  • Gênesis (Bereshit): a criação do mundo, o paraíso e a falta de Adão e Eva, o assassinato de Abel por Caim, o dilúvio e a arca de Noé, a torre de Babel, os patriarcas AbraãoIsaac e Jacó, a descida dos Hebreus ao Egito.
  • Êxodo (Shemot): a escravidão dos Hebreus no Egito, a vocação de Moisés, a saída do Egito, o nascimento do povo de Israel, a travessia do Mar Vermelho, os Dez Mandamentos, as primeiras leis sociais e religiosas, a queda do bezerro de ouro, o perdão e a construção do Tabernáculo ou do Templo ambulante.
  • Levítico (Vayikra): as leis do Templo (sacrifícios, regras sobre a pureza e a impureza, lei dos sacerdotes), leis sociais e religiosas.
  • Números (Bamidbar): a enumeração dos filhos de Israel, os conflitos internos, os combates de Israel, as leis sociais e religiosas.
  • Deuteronômio (Devarim): o testamento de Moisés, a memória da Aliança e dos acontecimentos importantes dos Hebreus, as últimas leis.

_______________________
[1] As publicações desta série sobre o Judaísmo são extraídas da obra do Rabino francês Philippe Haddad, no livro: Como explicar o judaísmo aos meus amigos. A tradução é de Pe. Fernando Gross. In: www.judaismoecristianismo.org

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s