Deuteronômio: Origem – O Movimento Deuteronomista

Por Hermes de Abreu Fernandes

Em textos anteriores, tratamos dos Livros Gênesis e Êxodo, nesta que deveria ser uma série sobre o Pentateuco. Em verdade, por demanda de nossos leitores, deixamos para um outro momento os Livros de Levítico e Números. Sigamos, neste texto, com um singelo estudo sobre o Deuteronômio. Neste primeiro, trataremos da Origem – O Movimento Deuteronomista. Ao fim desta nossa publicação, elencaremos os links dos textos anteriores, relativos ao Gênesis e Êxodo, assim como, outros sobre o Primeiro Testamento. Vamos embarcar nesta aventura bíblica?

A palavra Deuteronômio vem da língua grega. Significa “Segunda lei”. Deutero = segunda, nomos = lei. Esta obra vem a ser uma segunda apresentação da Lei de Deus (YHWH), revelada a Moisés e, em conseguinte, transmitida a Israel (cf. Dt 1,1-4; 4.46). A data deste evento se aproxima do ano 1200 a.E.C., isto é, em torno de 40 anos depois da saída do Egito, onde os hebreus eram escravos. A Lei de Deus foi apresentada enquanto ainda estavam peregrinando pelo deserto. A primeira apresentação da Lei foi feita pelo próprio YHWH no monte Sinai, logo após a saída do Egito (cf. Ex 20, 10210). É por isto que o livro ganha este nome, a segunda-lei, Deutero-nômio. Trata-se de uma segunda apresentação dos preceitos, Lei de Deus.

Em nível de etimologia (origem do sentido das palavras), na tradução hebraica o nome do livro de Deuteronômio é Debarim, que vem significar palavras. Isto por ser esta a primeira palavra do livro que começa assim: Palavras que Moisés dirigiu a todo Israel no outro lado do Jordão” (Dt 1,1). Daí o nome Debarim na tradução hebraica e Deuteronômio na tradução grega.

Podemos ainda considerar que o nome Deuteronômio se relaciona à ordem de Deus para os reis que foi designada dentro do próprio livro, a saber: “Quando subir ao trono, ele (o rei) mandará escrever num livro, para seu próprio uso, uma cópia desta lei, ditada pelos sacerdotes levita. Ela ficará sempre à sua disposição, para que a leia todos os dias de sua vida, para que aprenda a temer YHWH, seu Deus, observando todas estas palavras e colocando estes estatutos em prática” (Dt 17,18-19). Assim, todos os reis deveriam ter consigo uma cópia desta Lei de Deus/Deuteronômio, como norma para governar bem o Povo de Deus.

O conteúdo da obra do Deuteronômio é de temas fundamentais para a fé e a espiritualidade. O tema central está bem expresso em uma parte do livro, a qual, chamamos Shemá, Israel. Eis o texto:

“Escuta, Israel! O Senhor é nosso Deus, o único Senhor. Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e com toda a tua força. Estejam em teu coração estas palavras que hoje te ordeno. Tu a repetirás aos teus filhos, delas falarás quando estiveres sentado em tua casa ou andando a caminho, quando te deitares e quando te levantares. Tu as prenderás como sinal à tua mão e a colocarás como frontal entre os olhos, tu a escreverás nos umbrais de tua casa e nos teus portões.” (Dt 6, 4-9).

Um jeito de ser Povo de Deus, o Movimento Deuteronomista

Dizem que a vida imita a arte. A literatura também pode acompanhar este movimento. E por que não as Escrituras Sagradas? Antes de se tornar um livro, o Deuteronômio foi um jeito de ser, um movimento. Começou no Reino de Israel, no Norte, em tempos do profeta Elias (Séc. IX a.E.C.). Elias, junto com outros irmãos profetas, suscitou uma forte reação contra a política do rei Acabe e da rainha Jezabel. Estes, com seus desmandos, levavam o povo a abandonar a fé em YHWH para seguir o deus Baal dos pagãos. Este desejo de renovação, iniciado pelos profetas, continuou e teve mais força quando da destruição do Reino do Norte, Israel, por Sargon, rei da Assíria, no ano de 721 a.E.C. (cf. 2Rs 17,3-6; 18,9-12).

Um dos fatores que mais Motivou o movimento Deuteronomista foi a destruição do Reino de Israel, ao Norte. O Povo de Deus presente no Reino de Judá, ao Sul, sentiu o fato como um aviso muito sério. Podemos imaginar seus pensamentos: “Se nós não agirmos em observância com a Lei de Deus, poderá nos acontecer a mesma coisa que ocorreu com Israel. Podemos ter o mesmo destino. Seremos totalmente destruídos.” Por isso, o Povo de Judá, ao Sul, junto aos refugiados que tinham sobrevivido da destruição do Reino de Israel no Norte, resolveu proclamar uma grande reforma, cujo objetivo era: observar com mais fidelidade a Lei de Deus. Assim nasceu o Movimento Deuteronomista.

O intento de resgatar a fidelidade do Povo de Deus à YHWH partiu do próprio rei de Judá, Ezequias (716-687 a.E.C.). O que podemos verificar em 2Rs 18,1-8. Tal reforma foi abandonada durante o longo e desastroso reinado de Manassés, que reinou de 687 a 642 a.E.C. Manassés era filho de Ezequias, mas não seguiu o exemplo de seu pai (cf. 2Rs 21,19-23). Manassés foi sucedido por Amon, seu filho, que reinou de 642 a 640 a.E.C. (cf. 2Rs 21,19-23). Amon foi assassinado, vítima de uma conspiração (cf. 2Rs 21,23). Após isso, o povo se revoltou. Matou os assassinos de Amon e colocou no trono o pequeno Josias, filho do rei Amon, um menino de apenas oito anos. Ao completar 18 anos de idade, Josias assumiu o governo de forma emancipada, sem regentes. Retomou a reforma deuteronomista de forma vigorosa. Seu governo sobre Judá durou 30 anos (640-609 a.E.C.).

Continua…

Em nossa próxima publicação, iremos tratar do Livro de Deuteronômio. Sua estrutura e mensagem. Vamos embarcar nessa aventura bíblica? Até a próxima!

Publicações anteriores sobre o Primeiro Testamento

1. SOBRE O LIVRO DO GÊNESIS:

Gênesis 1-2,4: Relatos da Criação
https://ocaminheirodoreino.com/2021/06/16/genesis-1-2-relatos-da-criacao/

Gênesis 2,4-24: o jardim, o primeiro homem, a primeira mulher
https://ocaminheirodoreino.com/2021/06/17/genesis-24-24-o-jardim-o-primeiro-homem-a-primeira-mulher/

Gênesis 3: a serpente, a desobediência, a queda, o pecado original
https://ocaminheirodoreino.com/2021/06/18/genesis-3-a-serpente-a-desobediencia-a-queda-o-pecado-original/

Gênesis 6-9: o dilúvio – Chaves de leitura para bem compreendê-lo
https://ocaminheirodoreino.com/2021/06/19/genesis-6-9-o-diluvio-chaves-de-leitura-para-bem-compreende-lo/

Gênesis 11,1-9: A Torre de Babel
https://ocaminheirodoreino.com/2021/06/20/genesis-111-9-a-torre-de-babel/

Gn 12-50: História dos Patriarcas e Matriarcas
https://ocaminheirodoreino.com/2021/06/23/gn-12-50-historia-dos-patriarcas-e-matriarcas/

2. SOBRE O LIVRO DO ÊXODO:

Êxodo: Uma Introdução
https://ocaminheirodoreino.com/2021/06/24/exodo-uma-introducao/

Êxodo: a Opressão, o Chamado de Moisés, as Pragas, a Páscoa
https://ocaminheirodoreino.com/2021/06/30/26411/

Êxodo 13,17–18,27: A Caminhada de um Povo e seu Deus, Yahweh
https://ocaminheirodoreino.com/2021/07/01/exodo-1317-1827-a-caminhada-e-um-povo-e-seu-deus-yahweh/

3. SOBRE O LIVRO DE ESTER:

O Livro de Ester
https://ocaminheirodoreino.com/2021/07/26/o-livro-de-ester-parte-1-autor-e-tempo/

A mensagem teológica do Livro de Ester
https://ocaminheirodoreino.com/2021/07/30/a-mensagem-teologica-do-livro-de-ester/

4. SOBRE O LIVRO DE RUTE:

Cantar um Canto Novo com Rute
https://ocaminheirodoreino.com/2020/11/30/cantar-um-canto-novo-com-rute/

2 comentários Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s