Um grande encontro: Repleto do Espírito Santo e transbordante de amor

Comentário do Evangelho do XX Domingo do Tempo Comum

                                                                                       Por Seny Felix [i]

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas – (Lc 1,39-56)

Naqueles dias, Maria partiu para a região montanhosa, dirigindo-se, apressadamente, a uma cidade da Judeia. Entrou na casa de Zacarias e cumprimentou Isabel. Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança pulou no seu ventre e Isabel ficou cheia do Espírito Santo. Com um grande grito, exclamou: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre! Como posso merecer que a mãe do meu Senhor me venha visitar? Logo que a tua saudação chegou aos meus ouvidos, a criança pulou de alegria no meu ventre. Bem-aventurada aquela que acreditou, porque será cumprido o que o Senhor lhe prometeu”.

Então Maria disse: “A minha alma engrandece o Senhor, e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador, porque olhou para a humildade de sua serva. Doravante todas as gerações me chamarão bem-aventurada, porque o Todo-poderoso fez grandes coisas em meu favor. O seu nome é santo, e sua misericórdia se estende, de geração em geração, a todos os que o respeitam. Ele mostrou a força de seu braço: dispersou os soberbos de coração. Derrubou do trono os poderosos e elevou os humildes. Encheu de bens os famintos, e despediu os ricos de mãos vazias. Socorreu Israel, seu servo, lembrando-se de sua misericórdia, conforme prometera aos nossos pais, em favor de Abraão e de sua descendência, para sempre”.

Maria ficou três meses com Isabel; depois voltou para casa.

_______________________________________________________________

Um grande encontro repleto do Espírito Santo e transbordante de amor

Voltando um pouco na leitura do evangelho vemos que Maria acabara de saber que seria mãe e corre – o evangelho nos diz “apressadamente” – para a Judéia. Região montanhosa, podemos imaginar de difícil acesso. Não se deteve nas dificuldades. Foi visitar Isabel, que também estava grávida, mesmo sendo de idade avançada. Esta, ao ouvir a saudação de Maria, ficou repleta do Espírito Santo. Que encontro abençoado esse! Duas mulheres, duas gerações e dois testemunhos das maravilhas de Deus em suas vidas.

Isabel – compelida pela Espírito Santo – proclama, que ambos, mãe e filho, eram benditos, ou seja, aqueles que foram alvo de bênçãos. Proclama que são bem-aventurados porque acreditaram nas promessas Divinas. Acreditou nas palavras do anjo e viu a confirmação diante de seus olhos.

Ambas, repletas do Espírito Santo de Deus, agora é a vez de Maria, reconhecer sua humildade de serva, e expressar sua alegria na alma diante de tudo o que está ocorrendo. Põe toda sua alegria em Deus seu salvador!

Todos a chamarão bem-aventurada, não porque ela era grande, mas porque o Senhor havia feito grandes coisas em sua vida. Assim são os santos de Deus, reconhecem sua pequenez e enaltecem o Deus que realiza maravilhas em suas vidas. E exalta seu Santo Nome, passa a narrar os grandes feitos de Deus e todas as benesses de Deus de geração em geração, é capaz de ver a ação de Deus na história para todos aqueles que o respeitam.

Somos hoje capazes de ver Deus agindo em nossa história? Louvar e agradecer seus favores? Agir para que os humildes sejam levantados, ou ao menos tenham uma vida digna em nossa sociedade?

Nosso Deus é um Deus que mostra a força de seu braço, dispersa os soberbos de coração, derruba do trono os poderosos, eleva os humildes. Enche de bens os famintos e despede os ricos de mãos vazias. E nós seguidores deste mesmo Deus como agimos diante dos humildes e famintos de nossa sociedade?

A oração de Maria é repleta de significados e atitudes. Reconhece sua humildade, reconhece a enorme grandeza de Deus, mas não se fecha em si mesmo, cheia do Espírito Santo, transborda, vai ao encontro do outro. Seja na oração, seja nas atitudes.

Maria não se fecha em si em plena contemplação estática, mas transborda de amor que vai ao encontro do outro, na ajuda necessária que uma senhora de idade certamente necessitaria ao dar à luz.

Esse mesmo amor somos chamamos a experimentar e vivenciar, um amor, que transbordante de Deus, vai ao encontro dos mais necessitados. Assim é o verdadeiro amor: pleno em doação ao próximo.

Que possamos ser, a exemplo da Virgem Santíssima, através da Eucaristia, tabernáculos vivos e transbordantes deste mesmo amor em um mundo tão carente.

***

[i] Seny Felix da SilvaArticuladora da Pastoral da Ecologia Integral Vicariato Jacarepaguá, Catequista na Paróquia São João Batista – RJ,  Pós-graduanda em Docência do Ensino Religioso, Licenciada em Sociologia. 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s