A necessidade do desenvolvimento da consciência ecológica no processo catequético e a formação do catequista

Seny Felix [1]

A necessidade de sobreviver é universal. Todos nós precisamos usufruir dos benefícios que a Terra nos fornece, porém é necessário saber que somos responsáveis diante de Deus com os cuidados na criação, e permitir que a próxima geração também possa usufruir de seus bens. Todos nós cristãos somos chamados a ser cuidadores da criação e é necessário que a Igreja ensine tal responsabilidade aos seus membros. Assim, a Pastoral da Ecologia Integral está ciente de que sua missão não terá êxito sem que os membros de suas comunidades tenham desenvolvida essa consciência em um processo de formação pessoal e espiritual.

No último capítulo da Laudato Si’, o Papa diz que todos são convidados à uma “Conversão Ecológica”, que faça com que nos empenhemos na solução não apenas de questões relativas à natureza, mas principalmente às que se relacionam com o homem e sua qualidade de vida. Além disso, deixa claro quais os âmbitos educativos: a educação através da “escola, família, meios de comunicação, catequese e outros.” (Laudato Si 213).

Os desafios apresentados pela atual crise socioambiental são amplos e complexos e exigem de TODOS nós atitudes práticas e urgentes para atender ao apelo do Papa Francisco que nos chama a uma “conversão ecológica”. (LS 216)

É preciso compreender a dimensão  do cuidado e proteção como princípio da própria fé cristã, dinamizando por meio da espiritualidade ecológica e de uma catequese socialmente responsável. Catequese responsável e espiritualidade ecológica deveriam ser compreendidas como irmãs gêmeas. (Rossi & Mauri 2015)

O Diretório para a Catequese, nº 84, nos diz que a atividade catequética de educar à vida digna do Evangelho envolve a formação cristã da consciência moral, e segue no nº 384:

A catequese terá primeiramente o cuidado  de ajudar aos fiéis a se conscientizarem de que o compromisso com a questão ecológica é parte integrante da vida cristã. Em segundo lugar, anunciará as verdades da fé subjacentes ao tema ambiental….fornecendo motivações teológicas e espirituais para a conversão  ecológica e apoiando  ações concretas  para o cuidado com a casa comum.

Assim,  apoiados em tais documentos de direção para a catequese, bem como na Encíclica Laudato Si’, e compreendendo que para que o processo formativo dos catequizandos aconteça, é necessário que seus agentes estejam capacitados para tal função. Ninguém pode oferecer aquilo que não possui. Não podemos cobrar que as catequistas e os catequistas transmitam o que não receberam. Seria injusto e sem sentido.  

Dentro desta lógica, a proposta da Pastoral da Ecologia Integral é a de cada paróquia possa promover capacitação de seus catequistas de todos os níveis, seus auxiliares e quaisquer envolvidos na “Iniciação a Vida Cristã”, atendendo a esta demanda de uma igreja em saída e obedientes ao chamado do Papa Francisco tendo por base a Encíclica Laudato Si.

A educação na responsabilidade ambiental pode incentivar mudanças de comportamentos, impelindo ações concretas no cuidado do meio ambiente, e toda a capilaridade de alcance da iniciação a vida cristã, uma vida consciente de seu papel de batizado e cristão atuante no mundo que o cerca, pode e deve ser estimulado. Entre essas ações, destacamos ações a redução do uso de plásticos em nossas paróquias, óleo usado podendo ser recolhidos e gerar renda para a paróquia ou para catadores da comunidade, papel reciclado, tampinhas de garrafas, lacres de latas, tratamento com carinho de outros seres vivos, plantar árvores. Muitas são ações que podem ser postas em prática, melhorando, assim, a qualidade de vida de todos.

Pequenas ações que só podem vir de uma conscientização madura. o contrário a isso, caímos no erro de apenas informar sem, contudo, criar uma “cidadania ecológica” que tanto insiste o Santo Padre. ( LS 211): é necessário criar virtudes sólidas para que o processo se torne realidade.

Referências Bibliográficas

Francisco, Carta Encíclica Laudato Si’ – sobre o cuidado da casa comum. 1ª Ed. São Paulo: Paulinas. 2015.

Rossi, L.A. S. & Mauri, E.D. – Catequese e Ecologia – espiritualidade ecológica e catequese responsável – São Paulo: Paulus, 2019. Coleção Biblioteca do Catequista.

Pontifício Conselho para a promoção da Nova Evangelização – Diretório para a Catequese – 1ª Ed. 2020 São Paulo: Paulinas 2020.

***


[1] Seny Felix da Silva – Articuladora da Pastoral da Ecologia Integral Vicariato Jacarepaguá, Catequista na Paróquia São João Batista – RJ,  Pós-graduanda em Docência do Ensino Religioso, Licenciada em Sociologia. 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s